40 brilliant idioms that simply can’t be translated literally

“Quem não tem cão.. Caça com gato”

TED Blog

Tomato_Eyes What does it mean to “have tomatoes on your eyes?” Find out below…

By Helene Batt and Kate Torgovnick May

It’s a piece of cake. You can’t put lipstick on a pig. Why add fuel to the fire? Idioms are those phrases that mean more than the sum of their words. As our Open Translation Project volunteers translate TED Talks into 105 languages, they’re often challenged to translate English idioms into their language. Which made us wonder: what are their favorite idioms in their own tongue?

Below, we asked translators to share their favorite idioms and how they would translate literally. The results are laugh-out-loud funny.

From German translator Johanna Pichler:

The idiom: Tomaten auf den Augen haben.
Literal translation: “You have tomatoes on your eyes.”
What it means: “You are not seeing what everyone else can see. It refers to real objects, though — not abstract meanings.”

Ver o post original 1.656 mais palavras

Infográfico: Relações Públicas e Social Media em 2015

Fonte: The Creative Group survey of 400 marketing and advertising executives in the United States.
Infográfico retirado do artigo “Infographic: Who agencies will hire in 2015” do blog PR Week. Disponível em <www.prweek.com/article/1326998>

Com a aproximação da entrada no mercado de trabalho é essencial estar a par das competências mais requeridas a nível internacional. É visível que o trabalho em Social Media é cada vez mais importante para qualquer organização, o que se pode dever ao crescimento acelerado destas plataformas desde 2004 e à liberdade de expressão que as mesmas fornecem a qualquer indivíduo.

Em 2015, a importância destas plataformas será ainda maior e todos os profissionais de Relações Públicas têm que se adaptar à construção de relações baseadas em transparência, confiança e respeito através do diálogo e da partilha de conteúdos com as comunidades, que tornam a presença das organizações nos Social Media um factor de vantagem competitiva.

Fonte: Digital Information World. Disponível em <http://bit.ly/1APCsib&gt;

The TED Gift Guide

Interesting inspiration for Christmas gifts !

TED Blog

tedgiftguideBuying gifts? It is HARD. Especially when so many gift guides offer up ideas for what to get your dad, co-worker or sister without taking into account what actually interests those specific people in your life. A better way to locate the perfect gift? Think about what captures a person’s curiosity, and then seek ideas from people in that field. To get you started, we asked 10 members of the TED community — in a wide variety of fields — to share what they’d love to unwrap this season. Below, their gift-giving recommendations.

Gifts for travelers

Gift-Guide-travelerCurated by travel writer Pico Iyer, whose TED Book The Art of Stillness invites you to slow down, disconnect and reflect.

  1. “I’d love a year’s subscription to Monocle magazine.”
    .
  2. “A bottle of verbena-scented spray to help me feel at home — and fresh — wherever I happen to be.”
    .
  3. “ A…

Ver o post original 2.419 mais palavras

O caso perfeito

Já lá vai um mês, mas vale sempre a pena rever o caso da nova campanha da Victoria’s Secret lançada no fim de Outubro, na promoção de um novo soutien que tinha como slogan “O corpo perfeito”.

Após a comunidade ter percepcionado a existência e lema desta campanha, criou uma petição online em que exigiu um pedido de desculpas por parte da organização e a responsabilização pela promoção de valores pouco saudáveis. Nesta petição foi criado o hastag #iamperfect, de forma a demonstrar à Victoria’s Secret que a beleza vai além dos ideias de corpo perfeito que as modelos da organização possuem.

Na petição, é referido que a organização atinge as inseguranças das mulheres ao enviar a mensagem de que um corpo perfeito é aquele que as modelos têm e que prejudica o que se tem construído em torno da valorização dos diferentes tipos de corpo e que, esta é uma organização com extrema influência junto das adolescentes e que assumiu a responsabilidade de promover ideias prejudiciais junto deste público.

A petição contou com 33,002 adesões, sendo que o hastag criado gerou diversos posts no twitter, com especial incidência no post criado pela Dove (no dia 30 de Outubro de 2014), reconhecida pela campanha “The Real Beauty” que defende todos os valores postos em causa pela Victoria’s Secret.

Sem título

Como resposta, no início de Novembro, a Victoria’s Secret alterou o slogan da campanha para “Um corpo para cada corpo”.

Em suma.. Este é um dos bons exemplos em que se vê o poder da comunidade de utilizadores online, que se unem em torno de valores para defenderem aquilo em que acreditam, tendo capacidade de expressão suficiente para alterar as condutas de uma organização.

Ainda de ressaltar é o facto de que, a falha pública da Victoria’s Secret foi a oportunidade perfeita para a Dove, que envolveu os seus seguidores ao demonstrar apoio à petição pela utilização do hastag criado e criando uma conversa com a comunidade em seu redor.

“The Fun Theory” da Volkswagen

A campanha da Volkswagen, The Fun Theory é um bom exemplo de interacção aliada a criatividade.

A organização começou este projecto em 2009, sendo que a iniciativa presente no vídeo (Piano Stairs) é apenas uma das iniciativas criadas com o objectivo de promover a alteração de comportamentos nos cidadãos.

Esta campanha aliou a interacção real com o público, convidando a participar na iniciativa e a fazer parte da mudança, e a utilização do meio digital para exposição de todas as componentes do projecto e para a promoção de um concurso criativo.

Saiba mais na página do projecto: http://www.thefuntheory.com/

Relações Públicas e Comunicação Empresarial

Olá!

O meu nome é Madalena, tenho 20 anos e sou de Lisboa. Estudo Relações Públicas e Comunicação Empresarial na Escola Superior de Comunicação Social.

Afinal, o que são as Relações Públicas? Apesar de não existir uma definição consensual/ideal/única para este conceito, sabemos que esta inclui termos como comunicação, informação, planeamento, estratégia, relacionamento, públicos, pessoas, gestão, antecipação e até, como Wilcox referiu em 1978, “arte” e “ciência social”.

Actualmente as organizações operam num ambiente complexo, exigente, acelerado e inconstante, orientado por relações sociais, pela mudança e pela globalização. Para sobreviver, têm que acompanhar as mudanças, reagir e responder às pressões externas, as relações públicas surgem como forma de harmonizar e adaptar a organização a este ambiente através da gestão da sua relação de comunicação com os públicos.

Face a esta realidade, em que o tempo passa cada vez mais rápido, é necessário que um profissional de comunicação esteja atento ao ambiente, para o monitorizar, recolher informações e analisá-las, tendo em conta que todas as informações podem ser valiosas.

Por este motivo, há que fazer um zapping* pela actualidade, pela realidade e pelo ambiente, para que se esteja sempre atento e se recolham todo o tipo de informações importantes diariamente. Como estudante desta área, escreverei sobre a realidade das relações públicas e a minha interpretação da mesma, fazendo como que um diário de observações.

*Zapping: “to go somewhere or do something quickly”. (Cambridge dictionaries online)