Infográfico: Relações Públicas e Social Media em 2015

Fonte: The Creative Group survey of 400 marketing and advertising executives in the United States.
Infográfico retirado do artigo “Infographic: Who agencies will hire in 2015” do blog PR Week. Disponível em <www.prweek.com/article/1326998>

Com a aproximação da entrada no mercado de trabalho é essencial estar a par das competências mais requeridas a nível internacional. É visível que o trabalho em Social Media é cada vez mais importante para qualquer organização, o que se pode dever ao crescimento acelerado destas plataformas desde 2004 e à liberdade de expressão que as mesmas fornecem a qualquer indivíduo.

Em 2015, a importância destas plataformas será ainda maior e todos os profissionais de Relações Públicas têm que se adaptar à construção de relações baseadas em transparência, confiança e respeito através do diálogo e da partilha de conteúdos com as comunidades, que tornam a presença das organizações nos Social Media um factor de vantagem competitiva.

Fonte: Digital Information World. Disponível em <http://bit.ly/1APCsib&gt;
Anúncios

O caso perfeito

Já lá vai um mês, mas vale sempre a pena rever o caso da nova campanha da Victoria’s Secret lançada no fim de Outubro, na promoção de um novo soutien que tinha como slogan “O corpo perfeito”.

Após a comunidade ter percepcionado a existência e lema desta campanha, criou uma petição online em que exigiu um pedido de desculpas por parte da organização e a responsabilização pela promoção de valores pouco saudáveis. Nesta petição foi criado o hastag #iamperfect, de forma a demonstrar à Victoria’s Secret que a beleza vai além dos ideias de corpo perfeito que as modelos da organização possuem.

Na petição, é referido que a organização atinge as inseguranças das mulheres ao enviar a mensagem de que um corpo perfeito é aquele que as modelos têm e que prejudica o que se tem construído em torno da valorização dos diferentes tipos de corpo e que, esta é uma organização com extrema influência junto das adolescentes e que assumiu a responsabilidade de promover ideias prejudiciais junto deste público.

A petição contou com 33,002 adesões, sendo que o hastag criado gerou diversos posts no twitter, com especial incidência no post criado pela Dove (no dia 30 de Outubro de 2014), reconhecida pela campanha “The Real Beauty” que defende todos os valores postos em causa pela Victoria’s Secret.

Sem título

Como resposta, no início de Novembro, a Victoria’s Secret alterou o slogan da campanha para “Um corpo para cada corpo”.

Em suma.. Este é um dos bons exemplos em que se vê o poder da comunidade de utilizadores online, que se unem em torno de valores para defenderem aquilo em que acreditam, tendo capacidade de expressão suficiente para alterar as condutas de uma organização.

Ainda de ressaltar é o facto de que, a falha pública da Victoria’s Secret foi a oportunidade perfeita para a Dove, que envolveu os seus seguidores ao demonstrar apoio à petição pela utilização do hastag criado e criando uma conversa com a comunidade em seu redor.